Resenha: As bem resolvidas(?)

31.1.12
Estou lendo

Autor: Luis Eduardo Matta
Editora: Vermelho Marinho
Páginas: 195

A Gossip Girl brasileira escrita por um homem em uma versão infanto-juvenil , posso facilmente resumir o primeiro volume da saga "As bem resolvidas (?)" assim. A história narra a vida de Chris, Alê e Isa um trio de amigas que topam tudo para a felicidade uma da outra, um grupo de amigas que dá gosto de se ver e muito raro nos tempos de hoje. Tudo gira em torno dos problemas que elas passam na escola onde estudam "Colégio Internacional" e nas intrigas formadas pela Bu Campello - uma daquelas patricinhas irritantes que toda adolescente sempre tem que aturar nos tempos de escola? - O mais interessante da história é que apesar das meninas serem ricas e populares, seus problemas e indecisões são de uma menina comum. "Eu devo falar com ele? Mas, como falar?" "Por que não arranjo um namorado?" "Por que meu namorado não presta?" e muitas outras duvidas e medos que nós garotas temos nessa fase tão decisiva e importante de nossas vidas, a "Adolescência".
O livro tem uma leitura de fácil compreensão e é bem gostoso de ler pois suas letras são grandes, ele é curtinho acabei ele em poucas horas, e estou ansiosa pela sua continuação: "Amiga não fura olho".
O mais intrigante é como o autor aborda cada sentimento feminino com tamanho conhecimento sendo um homem, isso foi um dos fatores que me fez querer ler esse livro, e realmente ele superou minhas expectativas. Um livro excelente para ler em uma tardezinha apenas para distrair. Recomendo sua leitura e se for dar uma nota daria 10, a história é bem colocada, os fatos abordados de um jeito que prende o leitor até a ultima pagina e nos faz sentir cada medo das personagens principais, toda a garota ira se identificar.

Parte mais marcante do livro:
"Quando Alê resolve terminar de vez com PH a coragem dela de abrir mão de um grande amor por que isso esta a fazendo mau me inspira"

Trechos que mais me identifiquei do livro:
"Isa olhou indignada para Lô. O pior era que ele estava quase certo, embora ela jamais fosse admitir publicamente. Era uma vergonha estar com quase 18 anos e nunca ter ficado a sério com nenhum garoto." (Página - 34)

"Ela passou no banheiro e se debruçou na bancada da pia,mirando-se no espelho. Era bonita, apesar das poucas sardas e da timidez que a deixava meio sem-graça. Mas tinha atrativos. Tinha um corpo legal, sabia se vesti e era bem feminina. Não entendia por que não conseguia se soltar mais. Queria namorar, viver com mais emoção. Mas, para isso teria de se valorizar primeiro. Não adiantava querer ser amada, se ela própria não se amava direito" (Página  -183)


4 comentários: