Crônicas de um amor perfeito #5

6.9.12
5203247360_e9cb0cc7b1_z_large

Tanta coisa havia acontecido. De repente o rapaz que eu pensei que era perfeito para mim estava se mostrando um completo babaca. E eu estava completamente sem saber o que fazer. Depois de uma longa caminhada da estação de trem até minha casa, resolvi ir passear pelo shopping e talvez comprar algumas coisas para a minha noite deprê. Todo mundo sabe que chocolate + coca-cola salvam a vida de qualquer uma. Então resolvi tomar fôlego e caminhar mais uma vez. Em poucos minutos eu já estava no caixa passando minhas barras de chocolate, pacotes de balas e minha queria garrafa de coca.

- Olá - disse o atendente - Nota fiscal paulista?
- Não. Obrigada - respondi sorrindo.

O atendente tinha um brilho interior que eu percebi assim que nossos olhares se encontraram. Por isso resolvi aumentar nosso tempo de conversa. 

- Eu vou querer colocar crédito no meu celular.
- Esta bem - ele disso sorrindo.
- Será que eu vou conseguir?
- Por que?
- Simplesmente as vezes eu não consigo. Aparece que não tem sistema para carregar.
- É pode ser que isso aconteça. - comentou.
- E ai o que a gente faz?
- Podemos dizer "Vingardium Leviosa" e torcer para funcionar.

Soltei uma risada espontânea. Então meu rapaz do brilho interior gostava de Harry Potter. Resolvi entrar na brincadeira.

- Ou se não podemos dizer: "Accio recarga"!
Ele sorriu.
- Creio que Accio Recarga seria uma boa. - disse me estendendo o teclado do computador - digita o número do seu celular por favor?
Eu digitei e quando terminei ele me surpreendeu dizendo:
- Olha só! Acabei de ver seu número. Acho que vou passar trote. Posso?
Não pude deixar de sorrir.
- Se você quiser eu te passo o número. Sou uma pessoa carente de atenção mesmo.
Ele corou completamente e me surpreendeu novamente.
- Sério? - disse estendendo um pedaço de papel.
- É. - respondi rindo.
Anotei meu telefone e meu nome.
- Julie - ele leu no pequeno pedaço de papel - Um belo nome.
- Obrigada - respondi sem graça.

Olhei para trás e a fila para passar no caixa estava aumentando. E as pessoas me olhavam com uma expressão nervosa. Suspirei.

- Esta bem... Vou esperar seu trote.
- Pode ter certeza de que eu vou passar - disse piscando.
Corei e sai lentamente da frente do caixa.

Sai do shopping e passei o resto da noite pensando no rapaz. Ele era divertido e interessante. Para completar ele gostava de Harry Potter. Seria o grande amor da minha vida? Talvez. O que importava naquele momento é que ele havia trazido a paz de espirito que eu precisava para poder aguentar firme mais uma vez.

A busca pela felicidade é um caminho árduo. Mas, são pessoas assim... Que surgem do nada em nossa vida que fazem a nossa jornada mais fácil de seguir.

Uma vez me perguntaram da onde eu tiro essas histórias postadas no "Crônicas de um amor perfeito" se são reais, ou eu invento. Para essas pessoas eu respondo: São histórias reais e que foram vividas por mim. Nem que tenha sido apenas na minha mente fértil.

Um comentário:

  1. Cara quando li sério muito bem pensado, e é como sempre digo HARRY POTTER une pessoas não é mesmo agora nos diga qual foi o final da história kkk :)

    Adorei seu blog seguindo*-*
    Bjss
    http://zonadaleitura-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir