Resenha do livro "O guardião de memórias" de Kim Edwards

Imagem

Sinopse:Com mais de três milhões de exemplares vendidos nos Estados Unidos, O Guardião de Memórias é uma fascinante história sobre vidas paralelas, famílias separadas pelo destino, segredos do passado e o infinito poder do amor verdadeiro. Inverno de 1964. Uma violenta tempestade de neve obriga o Dr. David Henry a fazer o parto de seus filhos gêmeos. O menino, primeiro a nascer, é perfeitamente saudável, mas o médico logo reconhece na menina sinais da síndrome de Down. Guiado por um impulso irrefreável e por dolorosas lembranças do passado, Dr. Henry toma uma decisão que mudará para sempre a vida de todos e o assombrará até a morte: ele pede que sua enfermeira, Caroline, entregue a criança para adoção e diz à esposa que a menina não sobreviveu. Tocada pela fragilidade do bebê, Caroline decide sair da cidade e criar Phoebe como sua própria filha. E Norah, a mãe, jamais consegue se recuperar do imenso vazio causado pela ausência da menina. A partir daí, uma intrincada trama de segredos, mentiras e traições se desenrola, abrindo feridas que nem o tempo será capaz de curar. A força deste livro não está apenas em sua construção bem amarrada ou no realismo de seus personagens, mas, principalmente, na sua capacidade de envolver o leitor da primeira à última página. Com uma trama tensa e cheia de surpresas, O Guardião de Memórias vai emocionar e mostrar o profundo - e às vezes irreversível - poder de nossas escolhas.

O primeiro fato que me fez querer comprar esse livro foi justamente o nome. O achei tão bonito e encantador. A história não é de todo ruim, porém faltou algo para me fazer adorá-la.


O livro conta a história do Dr. David e sua mulher Norah. Norah estava dando a luz do primeiro filho do casal quando ele acaba descobrindo que ela estava dando a luz a dois filhos. A surpresa não acaba por ai, pois David descobre que um de seus filhos sofre de Síndrome de Down.

Atormentado com as dificuldades que ele  teve com a sua irmã que também sofria alguns problemas de saúde e por isso acabou morrendo , ele resolve pedir para sua enfermeira Caroline fugir com o bebê e deixá-lo em algum orfanato ou algo do tipo.


Caroline se sensibiliza com a situação e acaba ficando com a criança pra si. Essa criança cresce e se chama Phoebe.

Depois do nascimento de seus filhos o casal Norah e David nunca mais foram os mesmos. David ficava distante e se sentia culpado pelo o que havia feito.


Vários acontecimentos surgem e no final do livro não deixamos de ficar refletindo sobre o poder que as escolhas tem sobre as nossas vidas. Tanto as boas quanto as ruins. Elas são um fardo (as vezes leve, as vezes pesado) que nós temos que carregar.

A história é muito boa, então eu não consigo entender o motivo pelo qual a Kim não conseguiu me cativar com seu livro. Mas, enfim. Não deixa de ser uma leitura recomendada.

Obs: Esse livro foi adaptado para os cinemas em 2008. Eu não vi o filme mas, já me alertaram que ele é bem diferente do livro.

Minha nota: 2/5


Kim Edwards cresceu na vila de Skaneateles, Nova Iorque. A mais velha de quatro filhos, graduou-se na Colgate University e na Universidade de Iowa, onde ela recebeu um Mestre em Belas Artes em Ficção e um Mestre em Artes em Linguística. Após completar sua pós-graduação, ela foi com seu marido para a Ásia, onde passaram os próximos cinco anos ensinando em vários países. Kim então começou a publicar contos que ganharam muitas homenagens. Seu livro de contos Os Segredos do Rei do Fogo foi pré-selecionado para o Prêmio Pen/Hemingway de 1998. Kim é atualmente professora-assistente na Universidade do Kentucky. Seu romance, O Guardião de Memórias, bestseller número 1 do The New York Times nos Estados Unidos, também foi publicado em diversos países.