Descrição

Sejam bem vindas ao seu portal feminino de notícias sobre cinema, livros e cultura pop. Recheado de dicas de comportamento e cobertura de eventos, sempre de um jeito ácido porém sensível!

Facebook

Curta nossa página no Facebook

Twitter

Acompanhe o nosso Twitter

Youtube

Inscreva-se no nosso canal
Inscreva-se
23/11/2016

Crítica do filme "A chegada" (Arrival)


À convite da Sony Pictures nossa equipe conferiu "A chegada"

LIVRE DE SPOILERS

Depois da chegada de doze naves ovaladas — conchas — em diversos pontos do globo terrestre o governo americano chama a Dra. Louise Banks (Amy Adams) uma especialista em linguística para tentar entender a comunicação dos alienígenas.

Durante o longa acompanhamos Banks usando sua experiência para tentar ensinar nossos meios de comunicação e entender os deles, com a intenção de perguntar o propósito destes visitantes na Terra. Ao mesmo tempo outros especialistas tentam fazer o mesmo nas outras “naves”porém sem contatar uns aos outros. Louise também precisa lidar com a morte da filha. Essa mistura de situações e o sentido escondido por trás de tudo faz o plot twist do filme muito melhor e da a chance do público tentar descobrir o mistério por si próprio.


Os efeitos especiais conseguem ser fortes e sutis ao mesmo tempo. E a trilha sonora de Jóhannsson é incrivelmente atmosférica e emocionante.

Jeremy Renner (o cientista que ajuda Banks) agrada com sua atuação, mas Adams está facilmente na corrida pela estatueta dourada novamente. Seu desempenho foi impressionante e não deixa nada a desejar. A transformação de sua personagem ao longo do pouco tempo decorrido no filme é claramente passada e compreendida.

A Chegada é a respeito do universo, da Terra, de crises mundiais e do individuo ao mesmo tempo. Trará diversas conclusões, mensagens e pontos de vistas diferentes. Consegue trazer o prazer da sétima arte e incorporar questões filosóficas menos cômodas.

O filme estreia amanha dia 24 de novembro.

5/5

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário