11.5.17

Crítica do filme "O Dia do Atentado" (Patriots Day)



Mais uma história sobre heroísmo americano chega aos cinemas. "O Dia do Atentado", do diretor Peter Berg, conta a história sobre o ataque terrorista à cidade de Bonston durante a maratona do Dia do Patriota em 2013.

A abordagem que o diretor escolheu dar foi como um de documentário, mas com uma abertura para apelo emocional sem exageros. Bem dinâmico - alternando entre imagens reais do episódio e gravadas para o filme - o roteiro prende a atenção do público sem causar tédio, apesar da longa duração. A história parece ter como foco Tommy Saunders (Mark Whalberg), mas na verdade ela mostra diferentes pessoas e como vivenciaram e reagiram àquele fatídico dia. Isso também inclue como os terroristas responsáveis, Tarmelan Tsarnaev (Themo Melikidze) e Dzhokhar Tsarnaev (Alex Wolff), planejaram suas ações.

O elenco conta com grandes nomes entre os principais como Mark Whalberg, Kevin Bacon, J.K. Simmons, John Goodman e destaque para as pequenas, porém muito boas participações de Michelle Monaghan e Melissa Benoist. Cada um foi essencial para o tom que o filme desejava.



É interessante ver como o governo dos Estados Unidos se organiza quanto a ataques terroristas. A partir do momento em que ele ocorre há uma colaboração entre FBI e os departamentos locais para que a investigação seja bem sucedida e isso é bem representado no longa.

A frustração do filme é exatamente sua proposta: a separação entre o bem e o mal. Nada diferente de histórias anteriores os estadunidenses são colocados como a representação da liberdade e do amor, sendo que é de conhecimento público como seus interesses políticos e econômicos já provocaram mortes no Oriente Médio.

Em tempos onde a imigração tem sido vista como uma ameaça à segurança nacional é no mínimo irresponsável a forma como o filme retrata os muçulmanos. A ideia que passa é de que o terrorismo é característico desse povo, sendo que na verdade refere-se apenas a extremistas. Seus motivos e o contexto em que estão inseridos também são pouco explorados.

Tentando tirar a mensagem positiva desse filme percebe-se não só como a população de Boston, mas dos Estados Unidos como um todo une-se diante de tragédias. É um povo com o patriotismo aflorado que adora ter heróis e valorizá-los. Esse longa é importante para lembrar disso: mesmo diante das tragédias nunca abandone seu próximo.

O longa estreia dia 11 de maio de 2017.

3,5/5

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário