Crítica do filme "Na Mira do Atirador" (The Wall)

21.8.17

A convite da H20 Films o Acidamente Sensível viu em primeira mão o novo filme de Doug Liman ("No Limite do Amanhã", "Sr. & Sra. Smith")

NÃO POSSUI SPOILERS

Em 2007, a guerra no Iraque caminhava para a sua conclusão após o presidente Bush declarar vitória. Ainda assim, haviam conflitos entre os oficiais americanos e iraquianos.

Os sargentos Allen Isaac (Aaron Johnson) e Shane Matthews (John Cena) após um pedido de resgate, foram até uma área que teria sido atacada por uma milícia. Lá eles encontraram oito mortos e para garantir a segurança ficam camuflados por 20 horas para detectar qualquer movimento.

O sargento Matthews chega a conclusão que eles estão sozinhos no deserto e se aproxima da cena. É nesse instante que eles descobrem que o atirador, chamado Juba (Laith Nakli) ainda está lá e não pretende deixá-los saírem com vida. O que os separa do destino fatal é apenas um muro, onde se passa toda a história.

Para feliz surpresa, esse não é um filme de empoderamento estadunidense. Apesar do personagem de Johnson chamar Juba de terrorista em vários momentos, o iraquiano apresenta argumentos que justificam sua visão.


Essa claramente uma guerra psicológica que faz classificar o longa como um thriller. Apesar da curta duração (90 minutos) e uma premissa tão simples, ele não se torna tedioso em nenhum momento. Isso se deve grande parte a ótima interpretação de Johnson que leva o público ao desespero. Cena teve uma participação mais modesta, mas provou que é capaz de papéis mais densos do que normalmente interpreta. O que deixou a desejar foi a exploração pessoal entre o personagem Juba e o sargento Isaac.

A grande falha do filme é englobar tantas coisas, mas ao mesmo tempo se manter raso. Enquanto o atirador iraquiano propõe a discussão sobre a real intenção da guerra, o sargento americano mostra os traumas de soldados que temem a volta para casa. Mas nada disso é levado além.

Liman, depois de uma conversa com o novelista John Freeman Gill, contatou o produtor Dave Bartis pois desejava alterar o final do filme. Apesar da negativa de Bartis, ele manteve a ideia e contou ao ator Aaron Johnson, que a amou. Houve o apoio da Amazon e então "Na Mira do Atirador" ganhou um desfecho genial por não ser comercial.

Uma guerra que teve seu fim anunciado em 2007 ainda possui feridas abertas até hoje e, mesmo ao sair da zona de conforto, o longa errou o alvo por pouco. 

O longa estreia dia 24 de agosto de 2017.

3,5/5

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário