'PABLO VITTAR É MARAVILHOSO' DIZ CHRISTIAN CHÁVEZ EM COLETIVA NO BRASIL

9.10.17
FOTO: Matheus Buzzo / Televisivo / Michael Fred

Christian Chavéz retorna ao Brasil após cinco anos para uma bateria de pocket shows que fará entre 6 e 8 de outubro em Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. O artista, que considera o país como uma segunda casa, compara a emoção como a mesma de ir a Disneyland e tem a expectativa de ter uma relação mais próxima com os fãs. Ele trará não só as músicas do RBD, como algumas novidades que prefere manter em segredo.

Chávez, que assumiu a homossexualidade em 2007 e já postou um depoimento sobre como sofreu preconceito por sua orientação sexual, não poderia deixar de falar sobre a polêmica "cura gay", nome popular dado a decisão liminar o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho. Para o artista a decisão abre uma abertura que não deveria ser feita:

Melhor medicação (risos de todos). A verdade é que eu acho isso bastante idiota, acho que isso só confunde mais as pessoas, principalmente os jovens os jovens que fazem um esforço por sua família para melhorar para si. Mas acho acho que isso vai fazer com que eles fiquem tentando [curar] algo que não é uma doença, diz Chavéz.

O artista mexicano é embaixador da campanha "Yo me comprometo" que tem como foco a prevenção do suicídio. Ele acredita que com as redes sociais os comentários ruins ganham uma dimensão maior e é importante olhar o quanto isso afeta o outro. Chavéz tem o interesse de ampliar o projeto por toda a América Latina pois percebe a importância da discussão sobre o tema.

Seus país de origem sofreu um terremoto em 19 de setembro que deixou 366 mortos. De forma muito emocionada, Christian viu na tragédia uma oportunidade de união entre a população mexicana e estende essa esperança para uma escala global.

E uma forma do mundo mesmo dizer "parem já". Eu acho que temos que ter mais respeito e ter mais amor. É uma coisa maravilhosa porque achei que o México com o terremoto as pessoas tiraram as coisas sociais, quem tem mais mais dinheiro, e focaram mais na solidariedade e somos mexicanos. Então eu acho que isso é o que todos temos que fazer no mundo inteiro: temos que começar a ser que menos egoístas, começar a pensar mais nos outros, ressalta o artista mexicano.

Sendo um artista versátil, Christian já fez peças teatrais, musicais, seriados, novelas, tem sua carreira musical e  ganhou prêmios como Prêmio TVyNovelas em 2003, People en Español em 2010 GLAAD Media Awards. Entre todas essas mídias, nossa equipe quis saber qual era sua favorita e para ele não foi fácil escolher:

É difícil porque é distinto, cada coisa tem sua beleza, mas eu acho que nos musicais eu acho que você tem a oportunidade de olhar o talento do artista cantando, dançando, atuando, então eu acho que eu curto muito também porque é ao vivo, revela.

Por mais que os musicais tenham levado a melhor nessa, Chavéz tem outra dedicação atualmente. Ele afirmou que depois da febre que foi o RBD ele tenta viver ao máximo o presente e está totalmente focado em seus projetos de atuação, como o seriado da Sony Latino Americana "La Bandida" e um filme de comédia romântica previsto para o final do ano. A carreira musical está colocada em espera, por enquanto, então ao invés de álbuns ele pretende lançar apenas singles.

Falando sobre RBD, Chavéz foi questionado sobre como o personagem de Christopher Uckermann seria visto hoje em dia. Para quem não lembra, Diego era um garoto rico e mimado e que vai muito pela cabeça dos outros. Além disso, ele esconde seu amor pela música porque deve seguir a carreira política de seu pai.:

Diego era o contraste. Era no fundo um menino bom, mas ele tinha todas essas coisas ao redor dele. Acho que isso acontece muito com as pessoas que fazem bullying, eles levem dentro deles uma dor na sua casa. Acho que antes de julgar os bullers, deve-se tentar reconhecer alguma coisa neles e tentar ajudar. Porque acho que é uma educação que vem da casa.

 O mexicano é um grande amante da música brasileira e durante a coletiva de imprensa citou nomes como Ludmilla, Anitta, Lucas Luco, Luan Santana, MC G15, Wanessa Camargo e Roberto Carlos, com quem tem adoraria gravar uma versão de "Eu sou terrível". Além deles, demonstrou grande admiração a Pablo Vittar:

A verdade é que acho que um ícone como ele agora no Brasil que estão falando nessa bosta de, perdão é uma bosta, que estão tentando fazer essa coisa do tirar, uma coisa como se fosse uma... não sei, a verdade é que não é uma doença. Ter ícones no Brasil como Pablo Vittar é maravilhoso, eu gosto muito dele, de sua atitude, da sua música.

A doze anos atrás começava o que seria um dos grupos latinos mais conhecidos e isso deve ter representado uma grande pressão aos envolvidos. Pensando nisso, Christian revelou o diria para si próprio a dez anos atrás. "Vai que cola" foi sua resposta automática e assim levou toda a imprensa ao riso. Logo depois ele explicou que aconselharia o jovem Chavéz a manter a calma, a aproveitar a vida e a relaxar. Mesmo sem esses toques ele acredita que tudo aconteceu como deveria.  E sobre o novo RBD que o produtor Pedro Damián anunciou? Christian Chavéz disse que acha muito legal, mas que na verdade ainda está esperando notícias sobre o documentários. Quem não está, não é?

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário