VOCÊ PRECISA ASSISTIR 'MIDHUNTER' DA NETFLIX

9.11.17

Mindhunter é baseada no livro best-seller do NYT, que relata os anos que John Douglas passou perseguindo serial killers e estupradores, desenvolvendo seus perfis para prever seus próximos passos. A série discutirá alguns de seus casos mais publicizados, como o homem que caçava prostitutas no Alaska, o assassino de crianças de Atlanta e o matador de Green River.

O roteiro acompanha dois agentes do FBI, Holden Ford (Jonathan Groff) e Bill Tench (Holt MacCallany), focados em estudar Ciência Comportamental. Com a ajuda da psicóloga Dra. Wendy Carr (Anna Torv), eles realizam entrevistas de criminosos culpados de assassinatos brutais e com características peculiares por todo os Estados Unidos. A intenção é fazer a sociedade e o departamento policial americano compreenderem que os crimes são resultados de um motivo mais complexo e profundo. 

O personagem de Groff tenta alterar a forma como as autoridades lidam com os criminosos porque entende que há uma abordagem que pode apresentar resultados reais e com o auxílio de áreas como a sociologia e psicologia. Seu mestre, interpretado por MacCallany, representa um agente também idealista, mas mais experiente e ciente dos empecilhos que enfrentarão. A química entre eles é ótima.



Os assassinos são um prato cheio para uma atuação rica. Cameron Britton merece destaque ao dar vida a Edmund Kemper, o “Assassino de Colegiais”, que matou a sangue frio oito garotas da Universidade da Califórnia, praticou necrofilia com seus corpos, as decapitou e usou o resto para estudar anatomia humana. Com uma personalidade amigável e tranquila, é assustador vê-lo descrever seus crimes com tanta naturalidade e detalhes. Ele é um grande enigma pois, apesar de seus crimes, conquista a simpatia dos policiais com facilidade.

Diferente das séries investigativas com que o público está acostumado, Mindhunter não se preocupa com a investigação em si, mas na compreensão do psicológico dos criminosos. Pra quem acha que isso pode deixar a série entediante, pare aí. O público fica preso a tela e confuso sobre o que pensar. A verdade é que a série abre inúmeras portas e interpretações sem apontar uma verdade absoluta quando falamos sobre a mente humana.

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário