"Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica" é a nova animação da Pixar que você precisa assistir!

Imagem


Na mais nova animação da Pixar acompanhamos a história de dois irmãos elfos que não poderiam ser mais diferentes. Enquanto Ian (dublado no idioma original por Tom Holland) é apenas um adolescente tímido e inseguro que só quer ser mais parecido com o pai, que faleceu antes dele nascer, já Barley (dublado por Chris Pratt) é um jovem preso a um mundo repleto de mágica que já deixou de existir, fantasiando em tê-lo de volta para viver grandes e perigosas aventuras.

Quando Ian completa dezesseis anos sua mãe entrega a ele e seu irmão um presente deixado por seu pai antes de falecer, esse presente faz com que eles consigam trazem o pai de volta por um dia. Porém algo dá errado eles acidentalmente só conseguem trazer de volta a metade de baixo de seu pai. Se Ian e Barley querem trazer seu pai completamente de volta eles terão que partir em busca de um artefato mágico antes que o pôr do sol do dia seguinte aconteça.

É uma animação como só a Pixar sabe fazer, daquelas que vão alegrar a criançada, fazer adulto chorar e é bem provável que te faça sair do cinema direto para os braços de sua família, mais especificamente de seus irmãos ou irmãs (e caso você não tenha irmãos você provavelmente vai desejar ter depois de assisti-lo).

Dois Irmãos é uma história sobre família, sobre se sentir incompleto, sobre inseguranças, sobre acreditar em magia e em si mesmo, sobre como ter as pessoas certas ao seu lado te apoiando e encorajando faz total diferença.


Seguindo a trilha deixada por Divertidamente e Viva - A Vida é uma Festa, ele também aborda temas sensíveis aos olhos de uma criança; aqui temos família, relacionamentos, paternidade, irmandade, medo, vulnerabilidade e também luto e morte ainda que de uma forma completamente diferente de Viva.

Se o propósito de Viva era mostrar como a cultura mexicana lida e festeja a morte e vida de um ente querido; em Dois Irmãos (ou Onward no idioma original) o propósito é mostrar como lidar com a ausência que a perda de um ente querido nos deixa, principalmente quando o parente em questão não era tão conhecido assim, por ter partido antes de seu nascimento.

O filme nos mostra como ás vezes nos lamentamos muito pelo que não temos ou não tivemos, e esquecemos de olhar ao nosso redor e prestar atenção em tudo que temos. Ele nos faz perceber que talvez ter pessoas que nos amam e nos alicerçam seja a verdadeira mágica que precisamos para superar tudo e seguir vivendo.

Nota: 4,5 /5
Estreia: 05/03 
Distribuidora: Walt Disney Pictures