Crônicas de um amor perfeito #7

20.9.12
Tumblr_m5omfk9vr01qkfi6ho1_500_large

- Você é realmente um bobo sabia?
- Julie, eu posso até ser bobo. Mas, você é besta. E besta tem cinco letras, ou seja, é bem pior do que bobo.
Não pude deixar de rir. 
- Ok, você é pior do que eu pensei sai de perto de mim.
Gabriel me olhou e sorrio. De repente ele se aproximou de mim, alisou meu rosto com a ponta de seus dedos e depois começou a alisar meus lábios. Fechei meus olhos e apenas senti. Gabriel era amigo de uma amiga que dizia que ele era completamente louco por ela. E de repente estávamos assim, tão perto um do outro...
- Julie?
- O que? - perguntei abrindo os meus olhos.
- Seus lábios são tão lindos.
Corei o máximo que alguém poderia corar.
- Obrigada.
Gabriel caiu na risada. Me olhou de canto de olho e de repente ele estava novamente perto demais de mim. Eu podia sentir a respiração dele e seu hálito de menta. Eu queria tanto sentir os lábios dele nos meus, coisa que até aquele momento eu nunca havia nem imaginado. Eu me aproximei mais de Gabriel que correspondeu ao meu gesto entrelaçando seus braços em mim e me aproximando ainda mais. Logo estávamos nos beijando. Gabriel beijava de um jeito delicado e carinhoso, como se fôssemos um casal apaixonado. Beijá-lo parecia ser algo tão familiar para mim, apesar daquele ser o nosso primeiro beijo. Até hoje eu não consigo explicar a sensação segura que senti quando nossos lábios se tocaram. Depois quando enfim abri meus olhos em quanto Gabriel me dava um ultimo selinho encerrando nosso beijo eu pude observar que ele me olhava fixamente com seus belos pares de olhos.
- Seus olhos são tão lindos.
- Eu sei.
- Gabriel! - disse batendo em seu braço em tom de brincadeira.
Gabriel gargalhou.
- É que todo mundo diz isso sabe. - disse se levantando do banco onde estávamos e me ajudando a levantar.
- A gente tem mesmo que ir? - perguntei fazendo a voz mais manhosa que consegui.
- Infelizmente sim.
Suspirei.
Gabriel me pegou em seus braços e me levantou um pouquinho, já que ele era visivelmente bem mais alto do que eu, e logo me beijou novamente. Ao final do beijo nos abraçamos.
- Eu nunca pensei que um dia eu iria te beijar.
- É eu também não - confessei.
Gabriel se afastou um pouco para me olhar e disse:
- E foi bom pra você essa primeira vez?
- Oh! se foi... - respondi rindo e voltando a bater em Gabriel.
- Caramba! Como você gosta de me bater.
- Por que sera?
Ele riu novamente e fomos abraçados até minha sala. Nos despedimos com um selinho rápido e ele se foi. Ele não percebeu mas eu o observei até ele virar o corredor e sumir completamente do meu campo de visão. Depois enfim entrei em minha sala e só conseguia pensar no beijo delicado e carinhoso de Gabriel. Havia sido tão inesperado por nós dois, mas tão familiar para nossos corpos. Era como se fossemos ligados desde antes de nos conhecer. Seja como for, havendo uma explicação ou não. Eu simplesmente não conseguia parar de pensar no rapaz do beijo familiar e olhos bonitos. Gabriel.

Uma vez me perguntaram se as coisas que eu escrevo por aqui eram reais. E eu respondi: Sim, são reais e aconteceram comigo. Pelo menos na minha mente. O que não deixa de ser real, pelo menos pra mim.

Ps: Vocês me pediram a continuação da história da Julie com o rapaz que ama Harry Potter, e em breve ela virá. Assim que acontecer algo entre a Julie e esse rapaz. Aguardem! (risos).

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário