Descrição

Sejam bem vindas ao seu portal feminino de notícias sobre cinema, livros e cultura pop. Recheado de dicas de comportamento e cobertura de eventos, sempre de um jeito ácido porém sensível!

Facebook

Curta nossa página no Facebook

Twitter

Acompanhe o nosso Twitter

Youtube

Inscreva-se no nosso canal
Inscreva-se
28/04/2017

REVIEW: RIVERDALE - 1X11 To Riverdale and Back Again


Agora toda sexta vocês irão ler review de Riverdale aqui no AS, sabemos que só faltam dois episódios para a temporada acabar, mas também sabemos que Riverdale já foi renovada para a segunda então cheer up! Terão muitas outras reviews por aqui (:

O episódio de ontem não foi um episódio que preenche espaço MUITO PELO CONTRÁRIO, ele apimentou ainda mais o mistério da série.

POSSUI SPOILERS DO EPISÓDIO

A mãe de Betty está convicta que o pai do Jughead tem algo a ver com o assassinato de Jason, então ela quer por que quer que Betty e Veronica as ajude na empreitada de investigar mais sobre isso. Betty nega afinal ama Jug e acredita que o pai dele não faria algo assim, já Veronica está tão obcecada em descobrir a verdade sobre seu pai (lembra que o Archie disse que ouviu os pais da Cheryl dizendo que eles foram quem fizeram o pai da Veronica ser preso? Então. Agora todo mundo tem uma teoria de que o pai dela pode ter contratado alguém para matar o Jason, e esse alguém pode ser o pai do Jug).

Acaba que Veronica e Archie vão vasculhar o trailer do pai de Jug e não encontram nada. Mais pra frente o pai do Jug acaba sendo preso mesmo assim, quando encontram uma arma que supostamente foi a usada quando mataram Jason. Mas, espera ai. Tem alguns poréns nessa história.

Archie e Veronica contam pra Betty que quando vasculharam tudo no trailer não encontraram essa arma. O que hipoteticamente poderia inocentar o pai de Jug e fazer com que todos nos pensassemos que alguém o esta incriminando injustamente correto?


Mas, vocês se lembram que em alguns episódios anteriores ele pede para um dos serpentes esconder a Varsity Jacket do Jason que estava com ele? Aquela Varsity pode ser uma grande pista de que sim, na real o pai do Jug tem relação com a morte do Jason sim, lembro que quando ele pediu para o outro serpente esconder a jaqueta ele disse algo como "esconda essa jaqueta por que ela é o nosso depósito" tipo como se ele ter aquela jaqueta pudesse servir de prova ou garantia caso algo acontecesse.

Ou seja, esse episódio só confundiu ainda mais a gente.

Porém acrescentando mais um pouco de confusão, aconteceram algumas coisas que me colocaram pra pensar.

Tiveram algumas cenas na mansão dos Blossom com a Polly tentando investigar se eles tinham algo a esconder, pelo modo como eles eram sigilosos sobre seus quartos ela dá um jeito de convencer Cheryl a vestir algo de sua mãe para que assim ela tivesse acesso aos closets e afins, chegando lá ela começa a vasculhar tudo fingindo ser para encontrar o acessório/roupa ideal, e acaba que Cheryl encontra algo inusitado. A aliança que é da família Blossom e que Jason ofereceu a Polly quando a pediu em casamento. Polly achou muito estranho a aliança estar lá, já que a ultima pessoa quem esteve com ela era Jason e ele jamais devolveria a seus pais.

na cara que Polly acha que os próprios Blossom estão envolvidos na morte do filho, o que não é uma teoria de todo maluca se analisarmos que eles estavam chateados pelo filho não querer seguir os negócios da família e por preferir a Polly a eles.


Quando questionados sobre isso por Cheryl, eles dizem que foi o próprio Jason que devolveu o anel por que não queria ter nada da família com ele. Cheryl diz que jogou o anel na privada para esconder uma possível evidência caso aquilo fosse algo ruim. Seus pais dizem que ela fez o certo e vida que segue.

Porém no final do episódio a gente descobre que na verdade a Cheryl guardou o anel, o que serve pra gente perceber que apesar de na frente dos pais ela fingir estar ao lado deles, ela também tem suas dúvidas sobre quem é o culpado da morte de Jason.

O episódio terminou com tudo 'certo' mas, nada resolvido. Archie, Veronica e Betty estão no Pop's desesperados atrás de Jughead, mas não foram ainda no local mais óbvio: o trailer.

A última cena em que vemos Jug ele esta no trailer chorando feito um condenado e quebrando tudo pelo que lhe aconteceu. E não tem cena nenhuma de algum dos três o procurando por lá, logo subentende que ele ainda esta lá mas, ninguém foi conferir.

Espero que no próximo episódio eles nos entreguem algo mais concreto. Ao invés de ainda mais dúvidas, afinal a temporada está chegando ao fim e ninguém merece levar esse mistério para a segunda temporada não é mesmo? Temos que descobrir quem matou o Jason, nem que o motivo fique para ser explorado na segunda. Mas, o assassino temos que descobrir.

5/5

No canal do AS tem um vídeo com alguns spoilers da segunda temporada confiram:


BAR AVAREZA, SEU NOVO DESTINO NA AUGUSTA!


Essa semana nossa equipe foi convidada para conhecer o 'Bar Avareza' novo bar da Rua augusta aqui em SP.

Pra conferir o espaço enviamos nossa colunista Kamilla Yasmin que nos conta a seguir o que achou:

O evento teve inicio as 19:30 e ficamos surpresos com o quanto o local era além de aconchegante, muito bem organizado com uma decoração linda e regada ao estilo 'old' que agradou todos que estiveram presentes.

Os funcionários do bar além de super educados eram extremamente atenciosos, isso sem contar o dono do mesmo que era a simpatia em pessoa.

Durante a inauguração também teve uma banda muito animada que cantava muito bem e nos trouxe covers de bandar excelentes como: The Black Keys.



Todas as cervejas do local são maravilhosas. O mesmo é focado em cerveja artesanal e é patrocinado pela Fabrica de Cerveja Mea Culpa.

Possui o nome de "Bar Avareza" por causa das novas cervejas que remetem aos "7 pecados Capitais".

Super recomendamos o bar. Caso algum de vocês tenham interesse de conhecer ele esta localizado na Rua Augusta, 591.

O local fica aberto de quarta-feira a sábado, a partir das 19h, com entrada vip até as 21 horas. Aos domingos, abre às 18 horas, sendo entrada vip até as 19h30. A cada noite haverá uma programação especial com vários tipos de atrações.

O Bar da Avareza faz parte do grupo 203, proprietário das casas noturnas Beco 203 SP, Beco 203 RS, Bar da Avareza RS, recentemente inaugurado, e Anexo B, além da cervejaria MeaCulpa.

REVIEW: FAMOUS IN LOVE - 1X02 A Star Is Torn


O dia de review de Famous in love aqui no AS é toda quarta, viu? Porém devido a imprevistos estamos postando hoje. Mas, não se preocupem semana que vem a review do 1x03 vai ser postada corretamente.

POSSUI SPOILERS DO EPISÓDIO

No episódio da semana Paige ainda está tentando aprender como lidar com a pressão de ser a nova estrela de um filme teen que tem tudo para ser blockbuster, ainda mais sem saber se deve ou não contar a seus pais que esperam dela uma carreira brilhante na area da economia.

Esse impasse todo ainda continua pequeno invista da mesma não saber o que sente pelo seu querido amigo Jake. Mas, depois do mesmo ver o quanto ela estava surtando com tantas escolhas e indecisões ele decide simplificar e diz que é melhor os dois continuarem sendo amigos.

O momento da festa de lançamento de 'Locked' chega e Rainer vai buscar Paige em sua casa, o que deixa Jake com o maior carão de arrependimento. O caso é que quando ele disse que preferia ser amigo da Paige não era por falta de amor, muito pelo contrário ele pensou que iria ajudá-la a se concentrar no que realmente importa, mas depois de notar o interesse de Rainer por ela, ele faz carinha de arrependido.

Meio tarde né Jake?


Chegando na festa Paige fica deslumbrada com tanta gente famosa e incrível por lá. E descobrimos que ela tem crise de panico ou algo do tipo, pois após ver tantas câmeras voltadas para ela e tantas perguntas a mesma começa a se coçar — creio que isso vá ser um problema para ela em episódios futuros — porém Rainer percebe isso e vai ajudá-la.

Acaba que os pais de Paige descobrem que ela estava mentindo para eles, enquanto sua mãe fica feliz pelo papel seu pai fica indignado que a filha esta largando a educação para ser atriz, mas depois com jeitinho ela acaba o convencendo de que consegue fazer os dois.

Será mesmo?

A série é muito amável. Não tem como não gostar de Paige e seu jeitinho simples e doce, não vejo a hora de assistir aos próximos episódios.

E lembrem-se toda quarta é dia de review de Famous in Love por aqui (estamos postando hoje devido a imprevistos mas, semana que vem postaremos normalmente na quarta-feira)
27/04/2017

MAROON 5 ANUNCIA DATA E LOCAL DE SHOW NO BRASIL!


O Maroon 5 anunciou ontem a noite via seu facebook oficial a data e o local da onde vai ser realizado o show deles no Brasil.

Também anunciaram quando se iniciam as vendas.

O show vai rolar no dia 14 de Setembro, no estadio Couto Pereira as 22:00 hs as vendas começam dia 27/04 exclusivamente para usuários do Paypal, e dia 04/05 para o público geral.

Quem ai já está ansioso para o show? Vale lembrar que a banda também vai tocar no RiR que inclusive já esta com seus ingressos esgotados.

crítica do filme: Corra! (Get Out)


Get Out foi um filme que chegou despretensiosamente nos cinemas dos Estados Unidos, sem nenhuma promessa de ser o sucesso que foi. Depois de uma aprovação quase que unânime da crítica especializada, e um sucesso financeiro absurdo (se comparado com seu investimento financeiro) o filme chega aos cinemas no dia 18 de maio e AS já conferiu em primeira mão esse longa que veio pra ficar na história.

É fato que os filmes de terror, suspense ou thriller psicológico não estão mais em alta como um dia já foram. Mesmo os considerados ruins pela crítica norte americana conquistavam uma boa plateia e se tornavam clássicos, como por exemplo Chuck, O boneco assassino. E o cinema de horror tem ficado cada vez mais a mercê de descobrir uma nova abordagem para fazer sucesso. Assassinos em série como Jason e Freddy Kruger talvez não teriam mais sucesso hoje em dia. Atividade Paranormal até conseguiu sucesso através do found-footage, isto é, um longa de ficção que finge ser real. E por mais que tenha dado certo por um bom tempo, outros filmes do mesmo estilo não tem conquistado o mesmo sucesso. E é com muita alegria que venho dizer que Corra! veio para fazer história, como um suspiro de alívio em meio a tantas outras bombas no cenário de filmes de suspense.

Corra! tem como trama inicial a viagem do casal Chris (Daniel Kaluuya) e Rose (Allison Williams) para a casa da família da garota no interior. O problema começa com a insegurança do rapaz em relação a aceitação dele pelos pais da garota, uma vez que ele é negro e ela e toda sua família são caucasianos. Mas chegando na casa da família é onde o problema começa de verdade, uma vez que os pais da garota não se comportam da melhor maneira na frente do rapaz, deixando sempre um espaço para uma grande desconfiança.

Pela sinopse do parágrafo anterior não parece que estamos falando de um filme de suspense. Aliás, por mais que Corra! tenha ficado na categoria suspense/terror, arrisco dar uma nova classificação e considera-lo como um filme de drama, que usa brilhantemente o terror, suspense e até mesmo a sátira como força motriz para conduzir sua história carregada de elementos sociais que estão muito em alta hoje em dia, como o racismo e a “ascensão” dessa direita conservadora dos Estados Unidos que acabou elegendo o Donald Trump.


Um dos vários trunfos de Get Out que conseguiu captar logo no início do filme, foi a falta de espaço para mistérios e suspenses desnecessários, ou seja, tudo ali tem um propósito. Uma porta entreaberta junto com a famosa trilha sonora de suspense, é um fato que virá a ser importante para a continuidade da história. Um homem surgindo entre as árvores de uma floresta escura em sua direção. Um pequeno acidente de carro (essas cenas estão nos trailers, então não é spoiler). Tudo ali tem um porquê e um motivo que se não for conectado na história de maneira imediata, será explicado no final, o que comprova a beleza do roteiro de Jordan Peele (que também assina a direção do longa) onde tudo é maravilhosamente sincronizado e não é deixado nenhum fio solto.

Mas Jordan Peele se mostra talentoso na inovação em suas cenas de ação e suspense, criando algo relativamente “novo” para os filmes de terror. As cenas de maior tensão geralmente são em um ambiente claro cheio de luzes, algo não muito recorrente em filmes do gênero, assim como o enquadramento certo, misturado com a trilha sonora perfeita e longos fade-ins e fade-outs que arrisco novamente dizer que bem foram inspirados em Stanley Kubrick, no clássico do terror O Iluminado. E mesmo as cenas batidas que já são fichinha em filmes de terror, como o enquadramento das folhas secas sendo pisadas e se quebrando, acabam dando a sensação de novidade por causa de todo o conjunto da obra e toda a atmosfera de mistério criada durante a viagem do casal protagonista.

Deixando um pouco mais de lado o aspecto técnico, é necessário enaltecer que essa é uma obra que critica o racismo dos Estados Unidos. Como o terror não é um gênero unânime entre as pessoas, fica difícil recomendar Corra! como um filme necessário. Mas para todos os efeitos, ele faz uma grande reflexão sobre a discriminação norte-americana. É fato para todos que racismo ainda é um dos maiores problemas da nossa sociedade. As leis escravocratas já acabaram aqui no ocidente já faz um grande período de tempo, mas a discriminação ainda é latente no dia-a-dia com diversos casos de violência policial contra negros e outros tipos de crimes de racismo. É sempre bom lembrar que o racismo nos Estados Unidos é encarado de maneira diferente do Brasil. Lá, houveram leis segregacionistas até a década de 50, enquanto no Brasil, o fim da escravidão decretava na teoria que todos eram iguais perante a lei. Por mais que os dois países tenham tido histórias horríveis em relação ao tratamento com a negros, o movimento negro nos Estados Unidos é muito maior devido a essa luta social do século passado, que evidenciou grandes nomes como Martin Luther King e Rosa Parks. E é por todo esse histórico, que acho que Get Out não terá o mesmo impacto no Brasil como teve nos Estados Unidos. A população negra norte-americana justamente se identificará mais com o personagem principal do filme, uma vez que essa é uma ferida social bem mais recente na história dos Estados Unidos.


E por mais que toda essa luta norte-americana tem sido “finalizada” há mais de 60 anos, com até mesmo a eleição de um presidente negro, Get Out surge para nos alertar que o racismo ainda existe. Ele diminuiu e mudou as caras, mas ainda existe. Um exemplo disso é a discriminação que Chris recebe da família da namorada sem em nenhum momento receber acusações explícitas. Muito pelo contrário, em um certo momento um dos brancos racistas verbaliza que “não tem nada contra sua cor”, o que evidencia o tom satírico do filme, que apesar de importante, zomba dessas pessoas preconceituosas e burras (com o perdão da palavra) que insistem em sustentar suas ideias arcaicas em pleno século XXI.

Para finalizar, venho dar o aval de que Corra! é um filme excelente. Por mais que eu ainda ache que no Brasil o impacto será inferior, torço para estar errado e recomendo assim mesmo pois é uma obra maravilhosa para os fãs de terror e ainda causa uma ótima reflexão. As atuações de Daniel Kaluuya e Allison Williams são dignas de dois atores que mergulharam fundo em seus papeis. As cenas de hipnose e as resoluções finais são impactantes e sufocantes, deixando o telespectador irrequieto e boquiaberto ansiando pelo final, uma vez que (novamente diferente dos filmes de terror convencionais) não há delongas para a resolução de todo o mistério. Nenhum mocinho ou mocinha é estúpido ficando sempre a mercê do vilão. Tudo ali é coeso e nada é um desperdício de tempo. Jordan Peele fez uma excelente estreia como diretor e espero ansiosamente por seus próximos trabalhos, aliás, não vejo a hora do filme estrear nos cinemas para conferir novamente na tela grande, pois além de excelente, Corra! só está esperando seu tempo para ser considerado um clássico cult e ser colocado nas listas de melhores filmes de terror.

PS: o filme tem muitos plot twists, então tenham muito cuidado na hora de ler algumas notícias por aí que possam falar a história da trama, uma vez que a experiência é mil vezes melhor quando não sabemos exatamente o que está acontecendo. Um exemplo de plot twist que me pegou de surpresa foi na hora de ler os indicados ao MTV Movie Awards, onde o filme teve 9 indicações.

5/5
26/04/2017

REVIEW: PRETTY LITTLE LIARS - 7X12 These Boots Were Made for Stalking


Seria esse o pior episódio até agora?
No episódio da semana que foi ao ar ontem nos EUA vemos Emily entrando para o lado negro da força? Pelo menos é o que A.D quer.

POSSUI SPOILERS DO EPISÓDIO

Uma nova personagem é introduzida na trama, Addison. A versão mirim de Ali nos tempos da escola, que veio para dar uma sacudida na trama. O que desaponta já que ver uma garotinha medindo forças com a professora só era legal quando isso acontecia com as liars protagonistas, repetir a fórmula apenas frustra.

A mesma quer ter passe livre na aula de educação física - quem nunca? - e então começa a acusar Em de ter um comportamento inadequado com as alunas. Ela faz suas acusações para Paige que rapidinho conta pra Em e diz que vai resolver o assunto.

Acaba que Em fica tão desesperada com medo de perder seu emprego que decide jogar o jogo de A.D, com a ajuda de Ali ela entra no celeiro e joga. No final das contas ela fez tudo isso a toa já que Paige resolve seu problema levando a situação para os pais de Addison e o diretor. O caso é que já era tarde e Em já tinha 'vendido' sua alma hehe

Jenna retorna e vai dar uma de coitadinha na delegacia, Spencer presencia tudo com nó na gargante de ver como alguém pode ser tão cara de pau. Jenna fez a sua tradicional encenação de cega coitadinha e enganada. Ela disse que Noel só a usou e que foi vítima tanto quanto as garotas, chegou a dizer que ele também queria matá-la. 

Hanna está dando os primeiros passos para sua carreira decolar, mas nada na vida das liars é fácil não é mesmo? Então tudo começa a dar errado, e ela chega até ficar presa no estúdio de uma de suas fornecedoras, ainda bem que Caleb chega para salvá-la. Ainda não sabemos em si o que A.D quer dela.



Quando a Aria, coitadinha da Aria! Depois de no episódio anterior Ezra ter ido embora correndo após uma ligação dos pais de Nicole, ela vê uma noticia na internet que ele voltou com Nicole. Claro que ela fica arrasada, sorte que tem Holden para dar sabios conselhos de que ela deveria esperar.

O personagem de Holden sempre me deu a impressão de ser gay? Por que sera que uma amizade sincera entre um homem e uma mulher soa tão impossível né? Porém depois que ele retornou pra série além de ter conseguido ficar ainda mais interessante e legal do que ele já era, essa impressão sumiu totalmente.

É meio cedo mas, já to shippando ele com a Aria! E olha que eu sempre fui a maior defensora Ezria que o mundo respeita!

Eu entendo em partes o fato do Ezra ficar tentando proteger a Nicole, tendo em vista o que ela passou. Mas, o que ele deve ter em mente é que ele não esta mais Nicole, e sim com Aria. Agora ele tem que pensar e se importar só com os sentimentos de Aria. 

Eu já passei por isso de estar em um relacionamento com um rapaz que acabava me magoando enquanto tentava não magoar a EX. Então sim, eu levo isso pro lado pessoal mesmo!

Espero que no próximo episódio a gente tenha mais dicas de quem pode ser A.D e que deixem as coisas menos importantes pra depois. Também espero que Ezra tome uma dose bem grande de vergonha na cara.

3/5

*Toda semana tem review de PLL aqui no AS. Quarta-feira é o dia de PLL por aqui, espero vocês semana que vem*
25/04/2017

Crítica do filme "Guardiões da Galáxia Vol.2"


Finalmente chega aos cinemas o filme que ultrapassa barreiras interestelares: Guardiões da Galáxia Vol.2. A convite da Walt Disney Pictures e da Marvel Studios o Acidamente Sensível esteve na cabine de imprensa e conta um pouco pra vocês sobre o que esperar.

Bom, dessa vez os Guardiões - Peter Quill (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Baby Groot (Vin Diesel), Drax (Dave Bautista) e  Rocket Raccon (Bradley Cooper) - trabalham como mercenários e envolvem-se com os Soberanos e durante sua fuga acabam esbarrando no passado de Quill. Finalmente Ego (Kurt Russel), seu pai, foi apresentado.

Diferente do primeiro, o enredo do filme não contém tanta ação. Claro, vocês verão cenas de combate físico e lutas no espaço, mas a proposta desse novo filme é explorar seus personagens em uma escala mais pessoal. Assim o diretor James Gunn tenta criar um laço emocional entre os personagens, que antes do primeiro filme mal eram conhecidos, e a audiência.


Um personagem que surpreendeu foi Youndu (Michael Rooker). Nesse longa ele teve uma carga muito forte e interessante e finalmente explicou a razão pela qual levou o "Senhor das Estrelas" da Terra. Os outros personagens também tiveram suas particularidades exploradas, como Gamora e Nebula (Karen Gillan), nos dando uma ideia de seu relacionamento como irmãs e com o pai Thanos; foi um pouco fraco como abordaram Rocket, o que decepcionou; Drax e Mantis (Pom Klementieff) tiveram uma interação muito bem explorada combinando a sinceridade do alienígena e a inocência da nova personagem; Baby Groot é a coisa mais fofa ja vista no cinema, mesmo quando ele está bravo ou em combate.

Esse é um filme onde a trilha sonora tornou-se um personagem de extrema importância. Com músicas da década de 80 cada cena era intensificada por uma música. A fotografia é linda e surpreendente, com efeitos especiais belíssimos e eficientes.


A única coisa que incomodou foram os Soberanos. É compreensível a existência deles como conector para cada parte da trama, mas eles tomaram muito espaço e tempo em tela sem necessidade.

Esse longa reafirma o poder cinematográfico da Marvel e sua diversidade em oferecer desde heróis "certinhos" até mercenários em momento de redenção.

Não deixe de conferir "Guardiões da Galáxia Vol.2". O filme estreia dia 27 de abril de 2017.

4,5/5

TAISSA FARMIGA É CONFIRMADA NO ELENCO DE 'THE NUN' SPIN OFF DE 'INVOCAÇÃO DO MAL'


Sabe o filminho daquela freira horrorosa de invocação do mal? Pois é! Acabamos de descobrir que a Taissa Farmiga foi confirmada no elenco, pra quem não sabe ela é irmã da Vera Farmiga estrela da franquia.

O longa ainda não tem sinopse oficial divulgada, mas, já podemos garantir que com o roteiro de James Wan vai ser assustador!