Primeira imagem de ‘Logan Lucky’ com DANIEL CRAIG é divulgada

20/02/2017

A Diamond Films divulgou a primeira imagem oficial de “Logan Lucky”, filme dirigido por Steven Soderbergh (trilogia “Onze Homens e Um Segredo”). Nela, Daniel Craig aparece em destaque, com Channing Tatum e Adam Driver ao fundo.

Na história, dois irmãos planejam um assalto durante uma corrida da NASCAR. Riley Keough (“Mad Max: Estrada da Fúria”, 2015), Sebastian Stan (Capitão América: Guerra Civil), Katie Holmes (Batman Begins) e Hilary Swank (Menina de Ouro) também fazem parte do elenco.

O longa-metragem está em fase de pós-produção. O título em português e a data de estreia no Brasil ainda não foram definidos

Critica do filme "Internet - O filme"


Construído através da coletânea de oito esquetes, "Internet - O Filme" traz a espontaneidade dos conteúdos de humor audiovisual das redes sociais e da internet para o cinema.

Em uma convenção de youtubers, os personagens entram em vários conflitos uma vez que todos eles estão em busca da fama a qualquer preço.

LIVRE DE SPOILERS

A história é simples, está rolando uma convenção que reunirá Youtubers. Com o bom e velho clichê do cinema tem o famosão egocêntrico (Gusta), os que não são tão famosos , a louca das selfies e aquele que ninguém liga . A partir daí nós acompanhamos as confusões que cada um deles vai se meter para alcançar os seus objetivos durante o evento.

O material de divulgação realmente tem um tom muito diferente do filme e foi uma surpresa ver que tem a parte da "zoeira sem limites" porém devemos ressaltar que muitas piadas utilizadas no longa são de péssimo gosto. O filme é sim uma sátira a todos os estereótipos, memes e coisas que vemos na internet diariamente . 


Nesse ponto, Internet – O Filme consegue ser surpreendentemente bom e ruim ao mesmo tempo, pois ele pega as coisas boas da internet  — como um vídeo de um cara caindo no chão. Mas, sem saber dosar o humor com a falta de respeito. 

O que incomoda bastante nesse tipo de humor é a quantidade de tiradas preconceituosas ao longo do filme. Com piadas que incitam a gordofobia e outros tipos de preconceitos. O roteiro foi escrito por Rafinha Bastos conhecido justamente  por não saber dosar suas palavras na hora de fazer piadas sobre os outros.

Apesar de terem mostrado certo potencial o longa não agrada e deixa um gostinho de poderia ter sido bom. Mas, não foi. O filme estreia dia 23 de fevereiro.

 2,5/5

'Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar' ganha novos cartazes

Em novos cartazes divulgados de "Piratas do Caribe: A vingança de Salazar" podemos conferir os personagens do longa como por exemplo o Capitão Salazar (Javier Bardem) líder de um grupo de piratas fantasmas, a astrônoma Carina Smyth (Kaya Scodelario) e o teimoso marinheiro Henry (Brenton Thwaites). 




'A Bela e a Fera' ganhou comercial com cenas inéditas


No mais novo comercial de "A bela e a Fera" vemos Bela tentando quebrar a maldição da Fera. Vale lembrar que o longa estreia dia 17 de março.

Confira:



O elenco conta com Luke Evans (Gaston), Emma Watson (Bela), Emma Thompson (Sra. Potts), Kevin Kline (Maurice), Ian McKellen (Cogsworth), Gugu Mbatha-Raw (Plumette), Ewan McGregor (Lumiere) e Stanley Tucci (que viverá um piano falante). A direção é de Bill Condon.

Crítica do filme "A Lei da Noite"


Chega aos cinemas "A Lei da Noite", um filme escrito, estrelado, dirigido e co-produzido por Ben Affleck. A história acontece nas décadas de 1920 e 1930 com Joe Coughlin (Ben Affleck), filho do capitão da polícia, como protagonista. Ele tem envolvimento com duas máfias rivais em Boston, e posteriormente envolve-se com contrabando de bebidas em Tampa, Flórida.

LIVRE DE SPOILERS

Coughlin começou trabalhando com a máfia irlandesa, mas após uma situação de conflito de confiança ele ofereceu seus serviços a máfia italiana. Até aí era passado que o filme seguiria a linha de uma vingança, mas conforme passa a história é perceptível que perderam a mão e que nem sabiam mais o foco que tinham proposto anteriormente.


Esse é um filme que tem uma temática que pode ser muito bem explorada e que não é vista a algum tempo, mas a sua falta de ritmo tira toda a animação do público. A sensação que passa é que em duas horas e meia de filme nada foi absorvido ou tenha impactado minimamente alguém na sala de cinema.

O roteiro é baseado no livro "Os Filhos da Noite" de Dennis Lehane. Normalmente as adaptações de livros são tão atraentes porque elas tornam totalmente visual aquilo que um leitor teve que imaginar, mas infelizmente isso não aconteceu pois ao invés de apresentar os fatos esses foram citados. Um filme onde espera-se muitas cenas de ação, tiros e perseguições apenas contou com uma narração que desanima até o mais interessado dos espectadores.


O elenco conta com nomes interessantes além de Ben Affleck. Temos a presença de Zoë Saldaña, Brendan Gleeson, Remo Girone, Elle Fanning e muitos outros talentosos. Mas a forma como os personagens foram apresentados conteve muito a conexão que o público poderia ter desenvolvido com cada um deles.

Affleck veio de "Batman vs Superman", um filme muito criticado tanto pelos fãs quanto pela crítica em si, então ele precisava de uma chance de respirar. Mas infelizmente com "A Lei da Noite" e um rombo de 75 milhões para a Warner Bros. isso não aconteceu. O talento dele como diretor já foi conhecido em "Argo" e espera-se que, em uma situação com menor pressão, ele consiga mostra-la em um outro projeto.

O longa estreia em 23 de janeiro de 2017.

3/5

‘Eu nunca vou deixar de ser o Logan’ diz Hugh Jackman em coletiva no Brasil


Nesse domingo dia 19 o ator Hugh Jackman veio ao Brasil para divulgar "Logan" seu último filme como Wolverine.

"O Brasil tem apoiado muito o Wolverine e o X-Men. Eu queria muito vir aqui para dizer obrigado”, agradece o ator Hugh Jackman.

O ator já anunciou que não voltará a interpretar o personagem, mas confessa: "Eu nunca vou deixar de ser o Logan e ele nunca vai me deixar".


Eu fico emotivo de ver o quanto cresci com esse papel, o quanto ele me ensinou. Sempre senti que existia uma história mais profunda sobre o personagem”, disse Jackman para os jornalistas. Ele conta ainda que há dois anos acordou durante a madrugada com a ideia do que queria mostrar em Logan: "É a primeira vez que tive a sensação de gerar algo, mesmo não escrevendo ou dirigindo o filme".

Sobre as expectativas para o lançamento, o ator contou: "Meu sonho é que a gente consiga fazer as pessoas olharem o filme de maneira revolucionária. Ele é muito autêntico. Rezo para o fãs do Wolverine falarem: 'Finalmente, é esse Wolverine que eu quero ver'".

CRÍTICA DO FILME 'A GRANDE MURALHA'

19/02/2017

Em meados do séc XV, William (Matt Damon) e Tovar (Pedro Pascal) – dois mercenários a procura de pó negro (pólvora) – chegam a grande muralha da China. Lá eles são “recebidos” pelo exército Chinês e descobrem que a muralha é a defesa da civilização contra uma quantidade absurda de alienígenas monstruosos. A direção e montagem impõem um ritmo rápido e constante. Tempo não é perdido com ambientações e familiarizações de personagens e o público é rapidamente colocado dentro da aventura. Mesmo com cenas de ação desde os primeiros minutos, o longa não perde a adrenalina inicial e consegue manter a estabilidade até o fim com o uso dos recursos luminosos e da cultura chinesa.

LIVRE DE SPOILERS

Este talvez seja um dos filmes hollywoodianos atuais com o maior elenco estrangeiro, um ponto que – pelo fato do protagonista (Matt) ser americano - sofreu polemicas ainda antes do lançamento. O diretor chinês Yimou Zhang, no entanto, conseguiu colocar uma mensagem sorrateiramente na trama. Em um filme em que as questões morais, como honra e confiança, são tratadas tão louvavelmente, os únicos personagens que mostram indícios de ganância e traição são os interpretados por atores americanos. A cultura Chinesa, porém, ganha um tom hollywoodiano ideal. O jogo de cores usado nos figurinos – trajes dos guerreiros - e nos cenários é colorido e cativante. A trilha sonora, composta por Ramin Djewad, foi perfeitamente idealizada, funciona em todos os momentos e consegue transmitir cada cena ainda mais intensamente, em especial as coreografias e organizações de batalha, também muito detalhistas e bem trabalhadas. Exatamente a perfeição que é esperada do povo chinês.


O design dos monstros, apesar de clichê, convence. O ponto fraco foi não haver uma diferenciação visual melhor entre as classes hierárquicas dos aliens. O efeito 3D foi excelentemente bem feito e aproveitado nas cenas certas, sem pecar para o excesso como a maioria dos filmes atuais.

Matt Damon entrega uma atuação consistente e da um show com o manejo de arco e flecha - habilidade que não ainda havia sido vista pelo ator - mas fora isso não inova nem surpreende. Apesar de ser o protagonista quem realmente se destaca é a comandante Lin Mae (Tian Jing). Apesar de ser a única personagem feminina com destaque, ela consegue roubar todas as cenas em que aparece e protagoniza varias cenas de batalhas físicas. Mesmo havendo insinuação de um possível romance em algumas cenas, a relação dos dois é de respeito e admiração e, mais uma vez, Hollywood mostra que uma mulher não precisa de um homem para... bom, para nada.

A química entre Pedro Pascal e Matt Damon é aceitável e as cenas do ator chileno são as que trazem o cômico e deixam o tom mais leve. Willem Dafoe vive Ballard e apesar de ter sido esperado grandes cenas do ator, seu personagem deixa muito a desejar, ele não passa de uma rolha em algumas cenas e não acrescenta absolutamente nada ao roteiro.

No geral o filme tem um ótimo ritmo, uma fotografia belíssima, trilha sonora impecável e uma estória satisfatória. O longa estreia dia 23 de fevereiro nos cinemas brasileiros.

4,5/5