3.10.12

Seu texto no blog - O texto de Crys Nayara



São 23:00 pm de um sábado chuvoso, estou voltando de um verão que passei com a família na minha cidade natal. Vai ser uma noite longa de viagem, o que me deixa cansada só de imaginar. Acabo de fazer o check in, meu embarque é daqui uma hora, o que me resta tempo para tomar um café e continuar a ler o livro que deixei pela metade, se chama '’Amanhã você vai entender'', da Rebeca Stead. Uma intrigante e misteriosa história sobre uma garota, Miranda e seu melhor amigo Saul, a história gira em torno de um bilhete misterioso, que Miranda recebe, o qual surge rabiscado em um papel, dizendo: ''Estou indo salvar a vida do seu amigo e a minha. Peço dois favores. Primeiro você precisa me escrever uma carta'' e se segue ao longo da narrativa, a receber outros bilhetes desse tipo, o que nos deixa bastante curiosos, e instigados a descobrir o significado que esses enigmáticos bilhetes trazem. Estou na página 114, o título é: ‘’ Coisas que não fazem sentido’’.  Então começo a ler e fico totalmente envolvida naquela leitura, meu café já está pela metade, pego a xícara, e desastrada que sou, derrubo o resto no meu suéter da Zara, e praguejo algo como: ‘’droga’’, então  viro rapidamente para pegar algum guardanapo, mas antes que eu o faça, vejo uma mão estendida pra mim com um guardanapo e um meio sorriso no rosto, era um cara de no máximo 22 anos de idade, ele era um pouco alto, cabelo bagunçado, camiseta xadrez e All star meio surrado, um olhar de quem guardava algum segredo. Então educadamente com seu timbre de bom garoto, perguntou se eu precisava de alguma ajuda com meu suéter. Tecnicamente eu não precisava, mas respondi que sim, então ele me entregou mais alguns guardanapos, e sem que eu percebesse, estávamos dando risadas e suspiros, conversávamos sobre sonhos, medos, segredos, tivera sido a conversa mais profunda, que já tive em toda a minha vida, algo em nossos olhares se perguntava o porquê de nossas bocas não estarem juntas naquele momento, nós dois sabíamos que sensação como aquela não se sentia muitas vezes na vida. Ele me disse que era um viajante,  carregava na sua mochila um livro: A maldição do tigre; Uma Polaroid, duas Negrescos e várias fotografias, ele disse que gostava de registrar tudo e ver o resultado na hora, eu sorri e bebi um pouco do resto do meu café, ele tirou uma foto minha. O que me fez rir mais um pouco, a foto foi impressa, então ele colocou a data na parte de trás dela, e me entregou, agradeci com um sorriso, e guardei dentro do meu livro. Interrompendo nossa conversa, ouço o som estrondeante do alto falante, era o meu voo, eu precisava ir, sabíamos que se eu fosse, nunca mais nos encontraríamos, uma grande parte de mim desejava sair viajando pelo mundo junto com ele, mas eu sabia que precisava ir embora, então me levantei, meu olhar estava tão triste, sei disso porque, foi o que ele me falou, então logo  pego minha bolsa e digo adeus, com uma voz tão fraca, que por um segundo pensei que ele não tivesse escutado, então ele me dá um beijo no rosto de mais ou menos 5 segundos, e me solta,  eu dou um último olhar pra ele, e vou embora, seguindo até o portão de embarque. De repente sinto uma mão puxar meu braço tão forte, que sem perceber solto a minha mochila, ele sussurra algo no meu ouvido como: ‘’Não faz mas sentido viajar pelo mundo, conhecer uma pessoa como você e deixar ir embora’’.  Meu coração batia tão forte, no decorrer de cada palavra que saia da boca dele, eu me arrepiava, não consegui me segurar e deixei uma lágrima cair pelo meu rosto, fora as palavras mais lindas e sinceras que eu já teria ouvido. Então ele me puxou pra mais perto e nos beijamos, foi um beijo tão profundo, como se tudo em nossa volta tivesse parado, e todos precisavam parar para nos observar, era mágico, foi mágico. E por um instante  eu percebi que estava tão envolvida em suas histórias, sorrisos e olhares que havia me esquecido de perguntar o seu nome, foi então que escuto mais um chamada para o meu voô, abro o olho e pergunto alto e rápido: ‘’ Desculpe-me esqueci de perguntar o seu nome’’. De repente olho em minha volta ele não estava lá, meu rosto estava encostado na página 114 do meu livro e não havia nenhuma foto lá, meu suéter estava limpo, não havia café derramado, o café permanecia intacto, olhei pra todos os lados ao meu redor, estava bastante assustada, o alto falante anunciou a última chamada para o meu voo, peguei minha mochila e sai correndo, entrei no voo, respirei fundo, e pensei: Um dia pode ser verdade!

Crys Nayara


Faça como a Crys fez e envie seu texto para mim. Acesse aqui e saiba como.

2 comentários:

  1. Oun linda *-*
    Obrigada por ter postado o meu texto,
    que bom que gostou,
    se quiserem ver mais textos meus é só
    acessar meu tumblr http://crysnayara.tumblr.com
    fiz ele a mais ou menos uma semana, então ainda tem
    poucos textos, mais com o tempo vou postando outros. :)
    você tem tumblr ou flickr?
    bjbj :)

    ResponderExcluir