CRÍTICA DO FILME: MISSÃO IMPOSSÍVEL - NAÇÃO SECRETA

27.9.15
O que dizer desse filme que eu considero pakas?

Sou suspeita pra falar. Amo o Tom Cruise. Amo o Tom desde Top Gun - vi Top Gun em 2011. Ele é meu crush eterno. Vou morrer gostando do Tom.

Missão Impossível - como quase todo filme de franquia - tem sua fórmula, tem seu público e seu jeitinho metódico de ser. Em Missão Impossível - Nação Secreta não temos muitas surpresas. Sempre aquela coisa que já estamos esperando.

Ethan Hunt indestrutível, um probleminha qualquer para investigar e uma bela moça abrindo o zíper para Hunt. O que chama atenção nesse quinto filme é a destreza e agilidade na qual as cenas são apresentadas. O filme é ação do começo ao fim, sem pausas nem intervalos - você cansa só de ver.



Também chama atenção a disposição de Cruise - mesmo com a idade um pouquinho avançada - continuar vivendo perigosamente e dizendo não a dublês.

O que Missão Impossível 3 não faturou no total nos EUA, Nação secreta faturou facilmente em poucas semanas de estreia, dando aquela sensação de alívio para quem como eu ama a franquia e quer sim ver mais filmes por aí.

Em Nação Secreta vemos que o governo quer acabar com IMIT e enquanto Hunt luta para manter a IMIT operando ainda tem que investigar sobre o Sindicato - uma agência de espionagem anti IMIT.

Recomendo o filme como recomendo todos da franquia. Apesar de ter gostado, meu favorito continua sendo Protocolo Fantasma.

♥ 4/5 ♥

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário