CRÍTICA DO FILME: Star Wars - O Despertar da Força (EPISÓDIO VII)

Imagem

Estou sentindo o peso nas costas de fazer uma crítica desse filme. E ele é bem pesado.
SINOPSE: Décadas após a queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren (Adam Driver), o General Hux (Domhnall Gleeson) e o Líder Supremo Snoke (Andy Serkis) como principais expoentes. Eles conseguem capturar Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker (Mark Hamill). Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey (Daisy Ridley), que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Paralelamente, Poe recebe a ajuda de Finn (John Boyega), um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem.

Sei que Star Wars possui fãs fiéis e inteligentes e que com certeza irão entender tudo o que eu falar nessa crítica. Ou pelo menos tenho esperança de que isso aconteça.

Star Wars - O despertar da força, foi na verdade o primeiro filme que eu assisti de Star Wars. Sim! Pasmem. Porém depois de sair do cinema, feliz e satisfeita com o que vi. Resolvi assistir os anteriores. E depois de ter o feito - assisti somente até o quarto episódio, ainda faltam 2 - cheguei a conclusão de que o episódio sete não foi tão bom assim não.

Creio que todo furor em cima do filme se dá pelo fato de ter demorado tanto para sair uma continuação, e que sua bilheteria fica por conta dos outros filmes que conseguiram conquistar fãs fiéis, não por mérito próprio.

O filme foi bom? Sim. Mas, foi bom caso comparado aos filmes que são lançados atualmente, caso comparado com os outros da franquia ele conseguiu ser sim bem fraquinho.

Uma das principais críticas foi justamente contra o vilão do filme, mas até mesmo o próprio vilão se sentia inseguro e inferior aos seus antecessores, então a crítica acaba sendo auto justificada no próprio filme.

Gostei da ideia da Rey ser uma heroína e não precisar de homem nenhum para se salvar, gostei do personagem negro ter destaque e um papel admirável.

Mas, não gostei do uso de clichês para agradar o público. Que foi justamente a escolha desses dois personagens ai. 



Enquanto Daisy (Rey) conseguiu dominar o filme sendo uma excelente atriz e ainda conseguindo conquistar o público John Boyega (Finn) me deu nos nervos. Sua atuação não me convenceu, e acho que ele se sairia melhor em algum outro filme da Disney. Seu personagem soou caricata demais, e com uma personalidade dificil de entender o esforço para que gostássemos dele era notável, e pelo menos comigo não funcionou.

*alerta de spoiler*

Gostei do perfil do personagem todo o lance de um Stormtrooper lutando contra o que foi treinado para ser, era para ter deixado o filme excelente, mas devido a péssima escolha de ator, acabou deixando a desejar.

*fim do spoiler*

O filme teve seus pontos bons, como o fato de ter mantido a estética dos filmes anteriores. Era um filme novo com aspecto de filme antigo. Se você como eu pegou para ver todos os anteriores pode sentir isso com mais intensidade.

Recomendo - obviamente - que vocês o assistam. Mas, ignorem todo o furor, por que o filme está sim sendo superestimado.

Claro que ele é apenas o primeiro de uma nova era que esta sendo criada em torno de Star Wars, então erros são sim esperados e aceitáveis. Resta saber que agora que os direitos são da Disney eles irão conseguir dar um tom melhor para a franquia, e tirar esse ar de filmes da Disney, para que os próximos consigam ser mais sérios e fazer jus aos antigos e sem cometer os erros desse primeiro.

4/5