CRÍTICA DO FILME "SETE HOMENS E UM DESTINO" (The Magnificent seven)

21.9.16

 A convite da Sony Pictures nós já conferimos o filme Sete homens e um destino (The Magnificent seven)

LIVRE DE SPOILERS 

Sete homens e um destino é uma releitura do filme de mesmo nome lançado em 1960, que por sua vez também foi inspirado no filme japonês Os Sete Samurais de Akira Kurosawa

O longa de gênero Western — também conhecido como filmes de faroeste ou de Cowboys —  conta a história do pequeno vilarejo Rose Creek, onde os moradores sofrem com os constantes ataques, violentos por sinal, do bando de pistoleiros do Barão Bartholomew Bogue — também conhecido como o Barão do Crime.

Revoltada, viúva e em busca de vingança, a Sr. Emma Cullen — mulher forte e determinada — mostrando o seu lado "Girl Power" toma as rédeas da situação e pede ajuda ao pistoleiro Sam Chisolm (Denzel Washington) — que incorporou um Cowboy inteligente, astuto e que tem um passado triste.


Sam fica responsável por recrutar um grupo de especialistas bons de tiro para uma missão quase "suicida" pois o Barão Bogue elimina friamente qualquer um que entre em seu caminho e atrapalhe seus planos. Bogue é dono da mina de ouro que fica próxima ao vilarejo e mantém os mineiros em condições péssimas quase como escravos. 

Na segunda parte do filme — no momento do confronto entre os setes e a gangue de Bogue — temos cenas recheadas de tiroteios e explosões, o que empolga e faz com que a gente fique na torcida para um final feliz. 

 Por ser um remake fica grande a expectativa em torno do filme, embora não tenha sido um autêntico clássico de faroeste e sim uma mistura de gêneros o longa é bastante cativante, entretenimento garantido!

O filme é dirigido por Antoine Fuqua e estreia nos cinemas brasileiros no dia 22 de setembro de 2016.

4, 5/5

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário