23.5.17

Crítica do filme "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar"



LIVRE DE SPOILERS

Dessa vez vemos o filho de Will Turner e Elizabeth Swann, Henry, tentando achar um artefato místico - o Tridente de Poseidon - para quebrar a maldição de seu pai, assim ele busca a ajuda de Sparrow. Fazendo parte também dessa jornada temos a astrônoma Carina Smyth, que busca o mesmo artefato por que entende que essa é a vontade de seu pai. Paralela a essa aventura temos Salazar (Javier Bardem), um vilão morto-vivo que quer um acerto de contas com Sparrow e mais uma vez a Marinha britânica.

No filme "Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra" conhecemos o irreverente e caricato Capitão Jack Sparrow, ele viveu suas aventuras ao lado do cativante casal Will Turner e Elizabeth Swann. O que vemos 14 anos depois em "Piratas do Caribe: A Vingança do Salazar"? O irreverente e caricato Jack Sparrow vivendo uma aventura ao lado de um jovem casal. Pois é, depois de uma amarga experiência com o quarto filme da franquia eles resolveram seguir aquele ditado: não se mexe em time que está ganhando.

Foi muito inteligente eles atrelarem essa nova história ao casal dos primeiro filmes - interpretado por Keira Knightley e Orlando Bloom - mesmo que eles só tenham efetivamente aparecido por poucos minutos (segundos no caso de Keira) o público com certeza anseia em vê-los mais uma vez na tela.


Os pontos altos de atuação vão para Kaya Scodelario que conseguiu afeição do público e interagiu muito bem com seu par (Brenton Thwaits) dando um toque jovial e para Bardem, que apesar de viver o terceiro vilão dessa linha destacou-se como o melhor e mais interessante. Johnny Depp entregou a sua atuação de Jack Sparrow que já estamos acostumados, o que não surpreende porém agrada.

O astro Paul McCartney também aparece no longa e, apesar da sua aparição curta, conseguiu entreter o público como o tio de Sparrow.

A trilha sonora é algo que sempre será motivo para elogios. Com músicas empolgantes e bem encaixadas, principalmente, em momentos de luta o espectador sente-se parte da aventura. Os efeitos merecem elogios também, apesar de um pouco exagerados em algumas cenas, conseguiram convencer na maior parte.

Vale lembrar que o roteirista Terry Rossio, que é o responsável por outros filmes da franquia disse que Depp teria negado participar do filme ao ler o roteiro inicial que contava com uma mulher como vilã, segundo ele Depp achava algo redundante já que o mesmo tinha acabado de gravar um filme onde a vilã também era uma mulher (Sombras da noite). O que para nós não parece uma desculpa convincente.

Mesmo assim eles conseguiram recuperar as rédeas da franquia com ele, só resta saber se a maldição de ser previsível será quebrada em uma sequência futura.

O longa estreia dia 25 de maio de 2017.

3,5/5

PS: o filme possui uma cena pós-crédito.

Um comentário:

  1. Amoooooooooooooooooooooooooo!!
    Amo e amo a franquia e estou louca para assistir.e claro vou no dia do meu aniversário ahahhahahahah
    Jack #Love!

    Beijinhosss ;*
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderExcluir