21.12.17

CRÍTICA DO FILME "O REI DO SHOW" COM HUGH JACKMAN, ZENDAYA E ZAC EFRON


A Fox Film encerra o ano com o musical "O Rei do Show " e o Acidamente Sensível trás tudo o que você precisa saber sobre o longa.

NÃO POSSUI SPOILERS

P.T. Barnum (Hugh Jackman) é o filho de um alfaiate que desde pequeno teve grandes sonhos e tinha ao seu lado Charity (Michelle Williams), a filha de um dos clientes de seu pai. Apesar de afastados, ambos nunca se esqueceram um do outro, até que na idade adulta conseguiram se reencontrar e construir uma família. Anos depois, afetado pela crise econômica, Barnum viu a oportunidade de construir algo que chamava de "O Maior Show da Terra", um circo composto por pessoas extraordinárias e excluídas pela sociedade. A história é uma cinebiografia fantasiosa de Phineas Taylor Barnum, ushowman e empresário do ramo do entretenimento norte-americano, lembrado principalmente por promover as mais famosas fraudes e por fundar o circo que viria a se tornar o Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus.

A trama toda tem o objetivo do circo de Barnum: promover fraudes para trazer sorrisos reais. Por toda a trajetória problemas reais são expostos como racismo, intolerância, o preço da fama, ganância e muito mais. Mas da forma que é conduzido não há um real desafio a ser ultrapassado pois tudo é resolvido de forma muito fácil. Isso é ruim? Não necessariamente, já que todos merecem um momento em que possam ter apenas bons sentimentos e inspirações, mas faz com que o longa não se sustente apenas com sua história.

Falando do elenco principal, Hugh Jackman, para quem não sabe, começou sua carreira nos musicais, então em todas as suas cenas ele consegue prender a atenção do público e contagiá-lo; Zac Efron aparece em tela como um aprendiz e sua química com Jackman é excelente, além disso, seus números musicais deram a oportunidade do público matar a saudade de vê-lo cantar e dançar. 


No núcleo feminino temos Zendaya que maravilha a todos, não só pela voz, mas também por fazer suas próprias cenas no trapézio; Keala Settle consegue transitar o tempo todo entre o alívio cômico e um centro de emoção com sua atuação e interpretação das músicas; Rebecca Ferguson infelizmente desempenhou um papel que tinha potencial, mas passou despercebido e sem utilidade para a trama; Michelle Williams desempenhou maravilhosamente o papel de ser a mulher forte que dava sustentação ao gênio dos palcos.

A trilha sonora é uma obra de Benj Pasek e Justin Paul (ganhadores do Oscar pela trilha sonora de La La Land), apresenta um tom moderno que consegue inspirar e trazer os sentimentos mais reais por parte do público. Combinadas com números de dança fortes e espetaculares, as músicas são o carro chefe desse show e tem grande potencial em uma corrida para o Oscar. Infelizmente alguns efeitos especiais deixaram a desejar, mas nada que acarrete grandes problemas ao longa. 

A falta de aprofundamento nos dramas expostos prejudicou o enredo de O Rei do Show, mas chega a ser desumano não celebrar um filme onde a diversidade é celebrada de forma tão linda. É bom poder ver um musical onde o público poderá sair esperançoso quanto ao seu destino e a suas excentricidades. Por fim, P.T Barnum conseguiu fazer jus ao seu reinado.

Nota: 4/5
Distribuição: Fox Film
Lançamento: 25/12/2017

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário