Pesquisar este blog

Slide

Filme "Rampage: Destruição Total" não traz nada de novo


Uma experiência genética aparentemente revolucionária vai quase por aguá a baixo após um acidente com a nave da pesquisadora Atkis, que é responsável por levar amostras de um patógeno desenvolvido em laboratório de volta à terra. O problema é que essas amostras se perdem e acabam atingindo alguns animais, que começam a crescer de forma inexplicável e desenvolver características anormais da espécie.

O filme dirigido por Brad Peyton é Inspirado no jogo eletrônico Rampage de 1986, em que o jogador escolhia um animal e seguia em direção a cidade onde tinha o objetivo de causar a maior destruição possível, daí o nome do filme.

Davis Okoye, é um primatologista que tem uma amizade pouco provável com um gorila albino chamado George, que conquista o público de primeira. George foi resgatado ainda pequeno de grupos de caça e desde então se mantém próximo de Davis. A relação dos dois é bem interessante, o espectador consegue logo nos primeiros minutos ver a conexão que um estabelece com o outro. Davis Okoye, interpretado por Dwayne Johnson, é o protagonista dessa história. Sua atuação não é muito diferente dos outros filmes no qual é inserido. É impossível negar seu carisma e seu jeito especial como sempre nas cenas de ação, mas não nos mostra mais do que isso, já que o filme não apresenta altas cargas emocionais. Sua atuação pode ser comparada inclusive com o filme Terremoto: A Falha de San Andreas, do mesmo diretor.



As outras atuações são boas no geral, porém, mesmo que em certos momentos o filme nos conte o passado dos personagens, não é o suficiente para que os mesmos sejam aprofundados. É o que acontece com a personagem interpretada por Naomie Harris, ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante em Moonlight, que neste papel, como pesquisadora genética, não teve espaço para mostrar mais de sua personagem. A grande vilã interpretada por Malin Åkerman, não convence totalmente, mesmo que em algum momento atire em alguém só para provar "do que é capaz".

De início o filme traz alguns alívios cômicos bons, mas isso é um pouco deixado de lado conforme o andamento da história, o mesmo acontece com alguns personagens bem clichês apresentados nos primeiros minutos da trama, a garota bonita (Breanne Hill), o cara engraçado que tenta conquistar a garota (Joe Manganiello) e Davis, que salva todos do perigo. Por um momento a presença desses personagens quase nos faz pensar que eles são os grandes coadjuvantes, mas logo depois são totalmente esquecidos na trama.

Os efeitos especiais são bons, porém causam desconforto em alguns momentos pontuais, onde se tornam irreais demais. É o tipo de filme que já foi visto antes. Apesar do terceiro ato ser bem exagerado e quase difícil de acreditar, não há como não se empolgar com as cenas de ação, principalmente no início da trama, que não estão apenas preocupadas em impressionar o espectador. Vários momentos causam tensão e expectativa pelo que ainda está por vir. E apesar de previsível, Rampage: Destruição total, cumpre o seu papel pra quem procura lutas, explosões e MUITA destruição.

Nota: 2.5/5
Distribuição: Warner
Estreia: 12/04

No facebook

>> Acompanhe também

No Youtube

>> Vídeo novo toda semana

Vídeo

Vídeo

Vídeo

No Spotify

>> Ouça as nossas playlists no spotify