Slide

Filme "O Predador" chega para reviver os clássicos dos anos 80


O sexto filme da franquia, O Predador chega com o propósito de reviver o clássico de 1987, que cativou gerações, mesmo com todos os obstáculos que a franquia enfrenta ao longo dos anos.

A trama gira em torno de um menino autista que ativa o retorno dos predadores para a terra, agora mais fortes e inteligentes, por meio de dois dispositivos da armadura dos alienígenas. Ex-soldados, um pouco insanos, e uma bióloga se juntam para encontrar essa ameaça e proteger o futuro dos humanos.

Como um bom filme oitentista, o longa surge com novos protagonistas, em sua maioria, os machões esperados em filmes que envolvem lutas, sangue, tiro e muita gosma. Sobretudo, não são nem os truculentos, nem os aliens que cativam a câmera, o carisma fica por conta do pequeno Jacob Trembley, que mais uma vez, rouba a cena, com toda a sua fofura e competência. 


O jovem ator já havia mostrado seu potencial nos longas O Quarto de Jack, que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro, e no emocionante Extraordinário, e com O Predador não foi diferente, para quem procura sensibilidade em uma ficção científica, o pequeno realiza de forma sutil e generosa.

O roteiro não permite riscos, partindo da mesmice esperada em filmes do gênero, se apoia em referências aos títulos anteriores e no tom de violência brutal, com muito sangue e vísceras expostas a todo o momento. O diferencial fica no tom de humor, partindo da premissa que o elenco é composto por ex-soldados fugidos de uma reabilitação para insanos pós-guerra. Tiradas como a descrição do Predador como uma “Whoopi Goldberg alien” fazem o roteiro mais leve dentro de toda a selvageria da categoria. Sobretudo, cumpre seu papel em agradar aos órfãos da ação típica dos “clássicos” de Schwarzenegger/ Stallone.

Nota:3/5
Distribuição: Fox

No facebook

>> Acompanhe também

No Youtube

>> Vídeo novo toda semana

Vídeo

Vídeo

Vídeo

No Spotify

>> Ouça as nossas playlists no spotify